A CARNE SUÍNA TORNOU-SE SAUDÁVEL?


A carne suína por muito tempo foi uma quarta opção na dieta do brasileiro; superada pela carne bovina, de frango e até de peixe, por muitos anos foi uma iguaria deixada para ocasiões distintas.

Não se encontrava facilmente a carne deste animal para se vender, a não ser no comercio informal de animais que eram criados, nos chiqueiros de fundo de quintal. Mas a crescente industrialização e o rígido controle sanitário dos últimos 25 anos, tem feito as grandes empresas alimentícias investirem na carne suína.

Criadouros limpos, rações especiais e animais que tomam banho regularmente tiraram a imagem repugnante do ´porco´ e colocaram a carne suína entre os produtos mais vendidos, através de Lingüiças, Salames, Mortadelas, Patês e vários outros produtos.
Até a medicina descobriu a utilidade das válvulas cardíacas, como sendo do tamanho e funcionalidade ideal para prótese em humanos.

Mas será que a carne suína é segura para alimentação humana?

Um Problema de Origem
Não se trata de preconceito contra o suíno, mas o alimento de origem animal não é saudável para o homem. Nenhuma carne tem se demonstrado apropriado em nossos dias. A medicina moderna tem comprovado que a carne vermelha é altamente imprópria para a saúde cardiovascular, devido ao alto teor de colesterol ingerido. A carne suína é uma das mais ricas em gordura, o que a torna desaconselhável para a dieta humana. Os criadores de suínos afirmam que conseguiram reduzir o teor de gordura da carne na carcaça do animal; a cada 100 gramas de carne suína há 35% de gordura, mas hoje afirmam que os animais sobre dieta deração podem ter apenas 6%! Acredite quem quiser...

Um suíno leva 5 meses para alcançar 90 kilos e estar pronto para o abate, com um ganho médio de 650 gramas por dia! As partes preferidas dos consumidores, o toucinho do lombo e garoupa, chegam a medir 9,5 cm e 8 cm de espessura de gordura. A tabela abaixo mostra como a carne de suínos ainda continua rica em gordura.

De acordo com a American Heart Association, a ingestão máxima diária de colesterol é de 300 mg; e 100 gramas do lombo possui 73 mg de colesterol; ou seja 73% da carne será metabolizada em colesterol puro. Se um adulto comer 4 fatias finas do lombo estará com seu limite diário estourado.

O problema Principal
A restrição da carne suína que foi feita na antiguidade por nações como os hebreus e judeus, visavam excluir o homem de doenças infecciosas, pois os animais eram considerados imundos, quanto ao potencial de microorganismos que poderiam infectar ou infestar os humanos, originando epidemias como temos em nossos dias.

Os suínos são distinguidos como imundos por serem animais reservatórios ou que carreiam em seu organismo bactérias, parasitas e vírus que podem fazer do homem seu hospedeiro intermediário, causando doenças e morte.

Os suínos são animais que possuem uma microbiota muito rica devido aos seus hábitos em meio ao solo úmido e ingerir qualquer tipo de lixo orgânico ou dejeto; alem dos parasitas, muitos vírus são comuns a eles. O mais famoso é a Influenza que causa a Gripe e outra cepa viral que causa o Resfriado.

PANDEMIAS DE GRIPE
1918 - Gripe espanhola matou 50 milhões
1957 - Gripe asiática matou cerca de 1 milhão
1968 - Gripe em Hong Kong matou 1 milhão

As epidemias de gripe não são muito valorizadas devido ao ciclo
mais brando da doença, mas a gripe pode causar grandes problemas de
acordo com a cepa viral desenvolvida (no organismo dos porcos).

Cada suíno é um incubador desses vírus, que normalmente convivem
com o Influenza, mas o contato com o animal e as carcaças, contaminam os humanos.
"Nós sabemos que mais uma pandemia é inevitável. Está vindo", disse o diretor-geral da OMS, Jong Wook Lee, ao comentar em março deste ano a possibilidade de uma pandemia de gripe como em 1918 que matou 50 milhões de pessoas.

A preocupação é maior hoje porque a carne suína se tornou muito popular na Europa onde o consumo médio é acima de 40 Kg/hab/ano, enquanto no Brasil é de 10,09 kg/hab/ano. A facilidade do deslocamento das pessoas e a globalização teriam um efeito devastador na disseminação do vírus influenza.

O Cisticerco, responsável pela segunda doença infecciosa mais disseminada pelo suíno, é adquirido pelos porcos no meio ambiente, mais especificamente no solo; o parasita só se desenvolve nos suínos e nos bovinos, sendo que nesta última a infestação não alcança o cérebro do hospedeiro humano mas só o intestino. A Cisticercose é causada pelo parasita Taenia solium e é transmitida aos humanos nos tecidos musculares do animal; a doença bovina é causada pelo parasita Taenia saginata e é uma infestação restrita ao intestino.

Os suínos de criadouros modernos não estão livres da contaminação por esse parasita, pois constantemente chegam animais do campo, para serem repostos os rebanhos destes criadouros. Os animais que vem do campo se alimentam com a ´ração verde´ ou diretamente do meio ambiente no solo, o que facilita a contaminação do animal. Ao chegar nos criadouros, são alimentados por meses com a ração, mas esses animais acabam por contaminar os outros suínos com as fezes pois os parasitas tem um ciclo longo no intestino do animal. A garantia de um deles estar livre de algum parasita, não é nula e por mais rígido controle que possa ser feito, as epidemias do `Mal da vaca louca´nos EUA e Inglaterra, países industrializados e muito rigorosos, demonstram que pode haver falhas no controle sanitário.

A Dieta do Animal
Embora os Suínos hoje em dia sejam tratados com rações e evitem a Cisticercose, há o perigo de novas doenças surgirem como o ´Mal da vaca louca´ que atingiu o rebanho bovino, devido ao conteúdo indiscriminado das rações. O ´Mal da Vaca Louca´ demonstrou os efeitos de uma dieta de rações imposta aos animais que são preparados para o abate. As rações são preparadas com restos das carcaças dos próprios rebanhos ou de espécies diferentes, o que causou o surgimento do ´prion´. “Príon é uma proteína que fica no tecido da carne contaminada e é gerada pelo sistema imune do animal.

Ao contrário de um vírus ou uma bactéria, a príon não contém informação genética própria e não se propaga através da reprodução ou fazendo cópias de si mesma. Os cientistas acreditam que a prion "recruta" uma outra proteína que fica na superfície de células presentes no cérebro. Essas proteínas do cérebro se tornam mutantes e, em grande quantidade, elas formam massas insolúveis dentro das células, que acabam morrendo”.

O uso exclusivo de ração não torna o animal seguramente bom para o consumo humano, principalmente porque os suínos no Brasil também usam uma ração a base de farinha de ossos e vísceras.

O Tratamento do Animal
O controle sanitário é feito através da limpeza dos abatedouros, vacinação, administração de drogas aos animais e fiscalização da carne depois de abatido o animal.

No Brasil 52% dos antibióticos produzidos, é para uso veterinário em rebanhos!
O grande problema é que ao comer a carne destes animais, ingerimos doses maciças (literalmente cavalares) destas drogas que atuam em nosso organismo também! Os animais são reservatórios de muitas bactérias, parasitas, fungos e vírus que são patogênicos aos humanos; esses tratamentos visam eliminar os microorganismos patogênicos do animal, mas acabam alcançando as bactérias que são microbiota normal no homem, deixando apenas as bactérias mais resistentes e potencialmente patogênicas a ele; além disso as próprias bactérias acabam por desenvolver resistência ao próprio remédio, devido a constante exposição aos mesmos. Uma seleção de microorganismos super-resistentes aos antibióticos permanece, e as atuais drogas não poderão combate-las.

Como se não bastassem os antibióticos, as drogas mais usadas são aquelas para engordar o animal, e aumentar o seu peso para o abate em menos tempo possível. Essas drogas também agem no organismo humano de forma indiscriminada. A crescente obesidade entre a população de alguns países pode ser resultado da ação destas drogas.

Substâncias Naturais do Animal
Ao ingerir a carne de suínos ou de outro animal qualquer, nosso organismo também compartilha de uma variedade de substâncias que estão presentes nos tecidos musculares do animal. Metabólitos que seriam utilizados pelo fígado e toxinas que seriam eliminados pelos rins do animal são ingeridos diretamente pelo homem. Apesar destas substâncias passarem pelo fígado e rins humanos, antes disso essas substâncias tem seus efeitos alergênicos e tóxicos expostos ao homem.

Muitas reações alérgicas ou intoxicações alimentares ocorrem por este motivo. Alterações gastrintestinais são comuns daqueles que tem a carne em suas dietas, porque ela transporta muitas substâncias tóxicas que não foram eliminadas pelo organismo do animal.

Os suínos possuem hormônios naturais; parte desses hormônios está na carne do animal e é ingerida quando nos alimentamos dela. Para entendermos o que ocorre, recorremos a um exemplo simples; uma mãe quando amamenta seu bebê precisa estar calma e tranqüila, pois se estiver agitada e nervosa, pode liberar no leite materno substâncias adrenérgicas que deixarão a criança agitada também. Drogas e medicamentos também não são recomendados por ser disseminado pelo leite materno.

Hormônios não são liberados no leite materno, mas no caso dos tecidos musculares do animal, eles estão presentes e atuam indiretamente em nossa fisiologia se ingeridos com a carne. Os hormônios regem o comportamento do animal, fisiologia e humores; acabamos por participar destas substâncias, mas que seriam normais nos suínos e não em humanos.

Outra conseqüência é o estresse pré-abate e a produção de carne de qualidade inferior em situações em que o estresse ocorre muito próximo do momento da morte do animal. Substâncias como cortisol e catecolaminas estão no plasma dos suínos, produzidas pelo estresse do transporte e maus tratos, levando a um estado chamado de"downers", ou seja, são animais em estado de exaustão provocada pelo excesso de acido láctico nos músculos (carne). Estes hormônios são liberados em condições de estresse e são os principais responsáveis pelas respostas fisiológicas negativas que levam a ocorrência de mortes, "downers", e carne de qualidade inferior em suínos durante intenso manejo do transporte.

Conclusão
Apesar dos intensos esforços para se controlar a qualidade da carne dos suínos, percebemos que há fatores que não podem ser alterados. A constituição da carne de animais, e principalmente dos porcos, não é apropriada aos humanos.

Por mais argumentos que possam favorecer o consumo de carne de suínos, e as propagandas que apresentem produtos aparentemente deliciosos e inofensivos, a grande crise mundial dos países industrializados em relação a carne é a maior prova que desfavorece o consumo.

Alem disso, orientações mais antigas e de origem Divina, já excluíam a carne suína para o consumo humano. O que nos faz concluir que a carne destes animais nunca será saudável.

12 comentários:

mary disse...

Ao autor deste artigo, gostaria de deixar uma sugestão: ESTUDE, antes de postar tanta asneira na rede, por favor, este artigo é agressivo aos olhos de pessoas que realmente entendem do assunto!
Sou estudante do curso de zootecnia, a ciência que estuda as criações animais, e por coincidência sou estagiária de Suinocultura, além de grande estudiosa do ramo. Em primeiro lugar, a gordura dos animais, localizada principalmente no epitélio abdominal, e nas demais regiões do corpo do animal foram "REALMENTE" reduzidas SIM!!! Isto se deu graças a grande procupação do consumidor a partir dos anos 70 em relação ao consumo de gordura animal. Estes resultados foram conseguidos graças a grande evolução do melhoramento genético destes animais, feitos através de incesantes seleções de animais e de forma basicamente natural, ou seja, eram selecionados animais que tinham estas características desejáveis ao mercado e cruzados entre si, até obter matrizes qualificadas. Outra forma foi a revolução da Nutrição animal,ramo em que estou estudando. A cada dia, estão saindo novas pesquisas que procuram melhorar a dieta destes animais, de forma que se tenha o resultado desejado em um custo acessível ao produtor e consequentemente ao consumidor final.
Quanto ao seu comentário sobre o colesterol, realmente há uma restrição deste esterol no organismo, mas voltando a biologia celular ( o senhor teve isso???) o colesterol faz parte da constituição da membrana plasmatica, sendo imprencindivel para sua formação e funcionamento, estude sobre ela, saberá qu´qo é importante p o funcionamento celular e do organismo como um todo! Os esteróis tbm estão ligados a funções sexuais e hormonais, na sua formação,liberação e controle!!!Viver sem colesterol também não é nada bom, viu? Tudo tem seu limite, não seja tão radical com o colesterol!!!
Qnto a ser reservatório de microorganismos, nosso organismo tbm o é, como tudo que seja vivo e exposto ao ambiente, que é desafiador a qlqr especie!! Não discordo de sua opinião sobre isso, mas ewstudei em parasitologia, Imunologia, MIcrobiologia,Virologia, etc, etc e etc..., que a maioria dos microorganismos são sensíveis ao calor, devido a desbnaturação de suas proteínas vitais, a não ser que exista sashimi ou quibe cru de porco, a carne cozida ( a gente cozinha no fogo, com calor, sabia?), e posteriormente frita, sendo que antes estava congelada( outra forma limitante de vida para os monstros microorganismos), estará livre destes bichinhos assassinos.
Outra bobagem irritante e só quem fez um segundo grau muito ruim mesmo,mal feito, nas coxassssssss, foi sobre a cisticercose!! Campeão de vestibular, este assunto é mais básico que arroz e feijão, mas gente leiga que não lê e não estuda, confunde mesmo!!
Deixa eu explicar: A cisticercose é adiquirida pela ingestão de cisticercos que vão para as fezes do animal, estes dejetos se não tiverem manejo adequado, vão parar em rios,lagos, etc, que posteriormente servirão para aguar PLANTAS< HORTALIÇAS, que na hora do consumo, se não forem bem lavadas, conterão os mesmos! Trocando em miudos, amigo,não basta dar uma de coelhinho e viver de mato, por que se for porcão e não lavar as coisas direito, vai ter a doença, entendeu???
Outra coisa, animal viver no campo e vir para confinamento, só se for na tua terra, os nossos aqui,nascem e são abatidos confinados.
No BR não tem vaca louca nem em Bovinos, dirá em suínos, tem é mta gente louca por aí, e pelo jeito não ´pe de comer carne, rsrsrsrsrs
Quanto aos polêmicos antibióticos, são usados sim, mas pegue por favor para ler, as leis que limitam o uso destes, que limitam ao criador, a quantidade deles, quais podem ser usados( os liberados assim são por não deixarem resíduos comprometedores na carne), tambem ha um periodo de carencia para que se deixe de usa los antes do abate.
Td isso não é feito a olho, é baseado em estudos destes medicamentos,por isso alguns são liberados, outros não! Ninguem acha um mais bonitinho e deixa usar, entendeu?? Nosso mercado é quase td voltado para exportação, e por este mercado não aceitar em suas leis locais, o uso destes promotores de crescimento, nós ficamos amarrados as leis de la e temos que seguir para termos nosso produto vendido!!
Dá para ver que o Sr. não entende nada mesmo!! Antibiótico não engorda animais, melhoram sua conversão alimentar ne mantêm a saúde geral em equilibrio, fazendo com que o animal se desenvolva melhor,mas o Sr. seria incapaz de enrender isto, ja da para ver que não!!! Outra asneira do tamanho do mundo: Bactérias não criam resistencia,pelo amor de qualquer coisa!!!!!! O organismo seleciona algumas populações mutantes, que já nascem resistentes,é enormemente diferente!! Mas concordo que isto é perigoso sim,a questão da resistencia existe e é mto discutida, mas por favor, use os termos corretos para postar!! Sem falar, que os antibióticos que o sR. ingere qndo fica doente, não são de natureza diferente dos que são usados em animais, muitas vezes são até os mesmos!! Mas não quero entrar ewm Farmacologia, outra disciplina que tenho e vou mto bem nela por sinal! O Sr. acha mesmo que só por que o medico mandou tomar, seu organismo não reage da mesma forma com o antibiótoco? Acha que esta seleção de populações só ocorre comendo carne? Ledo engano!!! Sugiro que na próxima dor de garganta, o Sr. consulte um pagé e se cure com chás naturais, por que senão vai estar exposto a resistencia bacteriana sem nunca ter comido um torresminho!!
Qnto aos hormônios, só tenho uma observação KKKKKKKKKKKKKKKKKKK!!!!!!!!!, é hilário !!!!Seus filhos tomam leite??? Acha que não tem hormonios lá, da vaquinha ???? Para onde vai a prolactina dela?? Nunca vi carne de porco e de aves ter hormônios,leite tem, mas não colocado exogenamente, é da propria natureza quimica do produto!!!
Portanto meu senhor, informe se melhor antes de colocar um artigo, pois alguem competente pode chegar a ler!! Achei este artigo por que estava pesquisando para fazer um seminario de evolução genetica e nutrição de suinos! Para o Sr. ver, nós estudamos antes de falar as coisas!! Todo respeito com sua religião, mas crença deve andar paralela ao conhecimento geral, ou então quem resolveu abandonar a biologia e se dedicar aos salmos, não deveria tentar argumentar! Tanto é que nunca postei nada sobre biblia,pois falaria bobagem na certa!!! Cada macaco no seu galho!!!
Se o Sr. não é zootecnista, agronomo ou veterinario, por favor, não tente dar aulas do assunto, vai pagar mto mico!!!!

IVAIR AUGUSTO COSTA disse...

Amiga, fico feliz por que você mesma justifica sua opinião - você trabalha com suinos.
É claro que vai defender sua posição.
Para mim isso basta contra suas argumentações.
Mas lhe ofereço uma sugestão - siga seu próprio conselho: ESTUDE.
principalmente as medidas da OMS sobre as epidemias do vírus da gripe (aviar e influenza).

Adriano disse...

Olá! Encontrei este artigo por acaso, enqto procurava um assunto para um trabalho, justamente sobre suínos.
Sou também estudante de Zootecnia e, estou de plena concordância com minha companheira de curso. Aí o sr. deve pensar: "Mas claro, és da mesma área. Claro q vais apoiá-la." Então digo-lhe: Nada disso! Para eu apoiar em 100% essa opinião preciso de mais q partição de pensamentos. Minha opinião definitiva sobre o assunto é baseada em conhecimentos científicos, biológicos, dos quais somos (nós estudantes, cientistas) mais que bombardeados ao longo de nossa formação. Conhecimentos tais que visam sim, produção animal para lucratividade, afinal, somos um país que tem sua economia moldada na obtenção de capital, de lucro (capitalismo). Mas que dentro de rigorosíssimos padrões de sanidade, tanto ao animal qto do produto final ao ser humano. Outra coisa, dentro de normas de bem-estar, muito discutida hj, principalmente por repudiadores do consumo de proteína animal como o sr..
Claro, que estamos ainda em evolução no processo de adequação desta (e outras) criação animal. Mas os erros cometidos não vêm por falta de conhecimento técnico disponível para como se proceder uma criação dentro das normas internacionais. Aliás, uma das coisas necessárias são legislações ativas na prática. Necessitamos de órgãos que punam e/ou adeqüem criadores que fujam às leis... Estes animais criados (e criadores) de animais manejados sem o menor cuidado sanitário, genético e alimentar que ainda mantém o chamado "porco".
Mas também convenhamos, é em parte de nossa responsabilidade a busca de alimentos de idoneidade conhecida. Carne de animais (suínos) que, talvez, possam oferecer algum tipo de perigo à saúde humana, são aqueles vendidos em feiras , ao ar livre, de procedência desconhecida.
Quero uma aposta: duvido o sr. comer uma carne suína com ligeira constância, comprada em estabelecimentos comerciais seguros e sofrer com qualquer que seja o problema atribuído à carne, pelo sr. O mercado não é burro (se o sr. ainda não sabe). Não colocaria um produto à venda, sabendo que este corre qualquer risco de problemas ao homem. Ainda mais sob intensa fiscalização.
... Ah! Só pra finalizar: Até na bíblia consta de registro (se não me engano em Gênesis), onde Deus relata sobre fornecer animais e plantas à nossa alimentação. Então, por favor, seja mais abrangente em sua revisão de material para uma outra publicação. Imparcialidade e veracidade de fatos fornecidos são essenciais para quem quer ter credibilidade. Olhar por único prisma, não é legal!

Anônimo disse...

Meu caro "doutor". Seria interessante que se integrasse mais em estudos sobre os suínos. Entre no site da Pork World e conseguirá saber as verdades sobre a carne suína. O que o Sr. está escrevendo é uma verdadeira aberração. Até falando a bobagem de que cisticercose se pega na carne súina. Meu Deus, que asneira.
Deve estudar mais sobre o assunto para editar uma matéria desta que difama uma carne tão nobre e saudável. Níveis de gordura tão altos como estes, o Sr. deve estar falando do Suis scrofa, antepassado do nosso nobre suíno.
Conheça também o vasto cardápio da culinária, onde pratos deliciosos e saudáveis são preparados com a carne suína de baixíssimo teor de gordura e rico em bom colesterol. Ninguém vai comer tanta "banha" como citou em sua "matéria".
Caso queira comprar uma carne de qualidade, seja ela de frango, bovina ou suína, deve primeiramente procurar um estabelecimento que cumpra as devidas medidas de higiene e atenda a legislação da Inspeção federal. Comprar qualquer carne em feiras livres, sem higiene e sem controle algum de inspeção, aí sim, pode estar comprando um produto com problemas.
O Dr Luciano Roppa, expert em suínos, da empresa Nutron Alimentos, poderia dar uma "aula" para o Sr. em relação a tudo isto que falou. Tem inclusive uma excelente matéria que, caso queira, posso enviar-lhe, chamada Mitos e verdades sobre a carne suína". Nela o Sr. poderá ver tudo sobre o que é verdade e o que é "mentira" sobre a carne suína com fatos embasados cientificamente.

Atenciosamente,
Marcos Antonio Rezende Lucena

Patrícia disse...

Alguém que chama o parecer de um bioquímico aberração e um porco de nobre,ainda que credenciado é no mínimo insensato.Na garota mary além de proficiência falta diploma para emitir opinião em defesa de porcos

marçal disse...

Parabens Dr. Ivair,pelo comentario
sobre a carne suina.Atualmente moro na Italia,porem quando morei na Ilha Grande-Rio de Janeiro,um amigo meu que reside la',tornou-se paralitico de suas pernas,um disturbio que se deu em funçao de ingerir carne suina.Analisando vemos que de fato é uma carne tenebrosa.Mas quem quiser degusta-la,é livre,como tambem ratos,baratas... Como Existe gosto pra tudo...

elena disse...

Parabéns, pela publicação sobre suínos, eu tenho sérias alergias e com a ajuda de um médico Dr. Luiz Meira, descobri que o porco é realmente uma porcaria e causou muitos problemas para meu organismo, se eu tocar em qq coisa que tenha porco, glicerina, glicerol, tudo do porco, minha pele fica avermelhada e começa a descascar, imagine o que acontece por dentro. Meu filho tomou um medicamento que continha glicerol(porco), ficou com rinite e bronquite por uma semana, eu não posso usar sabontes, schampoo, cosméticos, qq que tenha suínos não claramente identificados nos ingredientes. É um animal com herança genética imunda e temos outros alimentos para usufruir.

Anônimo disse...

cada um come o q realmente quer ,mas realmente concordo q a carne de porco é uma carne q não é saudavél para a saude,e além do mais proibida por Deus,mas como disse,cada um é dono da propria boca e corpo...se fosse boa pra saude os medicos não a proibiam para diversos pacientes,não é verdade: sou a favor da vida e dos animais.

Anônimo disse...

diga não a carne de porco de boi de coelho...vamos ser todos vegetarianos...diga sim a vida!!!!

Leonardo S Oliveira disse...

Não consumo carne de porco de forma alguma, simplesmente pelo fato de que aquele que nos criou, que é profundamente mais conhecedor do que qualquer outro estudioso de zootecnia, sanitarista ou especulador, nos proibiu de comermos tais animais. Segundo consta, no Livro de Levíticos, no capítulo 11. Não teria ousadia pra desobedecer uma proibição desta, ou qualquer outra, de forma deliberada, seria suicídio. "Bem aventurado o homem que teme ao ALTÍSSIMO, em todo o seu caminho ele irá bem"

Leonardo S Oliveira disse...

Não consumo carne de porco de forma alguma, simplesmente pelo fato de que aquele que nos criou, que é profundamente mais conhecedor do que qualquer outro estudioso de zootecnia, sanitarista ou especulador, nos proibiu de comermos tais animais. Segundo consta, no Livro de Levíticos, no capítulo 11. Não teria ousadia pra desobedecer uma proibição desta, ou qualquer outra, de forma deliberada, seria suicídio. "Bem aventurado o homem que teme ao ALTÍSSIMO, em todo o seu caminho ele irá bem"

Maurino Autogiros disse...

Essa matéria é antiga, mas vou comentar. As modernas granjas de suínos hoje em dia, são mais higiênicas do que muitas residências humanas. O "porco" perigoso era aquele criado num chiqueiro, alimentado por "lavagem", e outras porcarias. Para você visitar um criadouro hoje, até você mesmo, receberá uma vestimenta adequada, esterilizada. Tudo para levar a níveis próximos de zero, a possibilidade de contaminação, biológica, principalmente.É cem por cento seguro ingerir carne suina? Nada é cem por cento seguro nessa vida, mas um vejetal manejado ou manuseado de modo inadequado pode ser tão ou mais perigoso que a carne, seja suina ou de outra espécie animal. Se for de boa procedência, e preparada adequadamente, não haverá problemas. Agora vamos para a questão bíblica. Vocês que defendem a restrição dada por Deus aos israelitas por meuo de Moisés, porque não circuncidam seus filhos? Era uma ordem dada também por Deus. Por que não se casam com a viúva do irmão, para cumprir a Lei do Levirato? Cumprir apenanas o que nos convém é fácil. Também vocês não leem a Bíblia? Não leram ainda o que ensinou o maior missionário e teólogo da Igreja de Cristo, o apóstolo Paulo, quando disse aos Coríntios: tudo quanto Deus criou é bom, e recebido com ações de graças, nada é recusavel. Ou quando falou também ais Coríntios: comei de tudo que vos for posto à mesa, sem nada recusar. Eu vos pergunto: vocês creem que Deus criou os suinos, ou teria sido outra entidade, do mal, por exemplo? Voces querem cumprir a Lei, que foi dada aos judeus? Então apedrejem as esposas que forem pegas em adultério, como os judeus no tempo de Moisés tinham de fazer. Não emprestem dinheiro a juros, como os judeus não podiam emprestar a outro judeu. Cumprir apenas selecionando o que me convém, para respaldar a minha religião, a minha crença, é fácil, muito fácil.